Professores da rede municipal de Santa Inês cruzam os braços por falta de pagamento

De acordo com o Sinproesemma, greve será por tempo indeterminado

Depois de várias tentativas de diálogo e sem conseguir acordo com a prefeita Vianey Bringel, os professores da rede municipal de ensino de Santa Inês decidiram, nesta quinta-feira (24/08), entrar em greve por tempo indeterminado.

Convocada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão (Sinproesemma), a assembleia que decidiu pela greve aconteceu na manhã desta quinta-feira, no auditório da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Santa Inês e reuniu centenas de educadores.

Os professores lutam pelo repasse do reajuste de 7,64% garantido pela Lei; pelo cumprimento do Plano de Cargos Carreiras e Salários e pela regularização de pagamento dos servidores da rede municipal, que está sendo pago pela metade desde o mês de maio deste ano, com recomposição em caráter retroativo.

“Desde o mês de maio que estamos recebendo salários pela metade, professores e até os vigias. Então, ela (a prefeita Vianey Bringel) veio com o adiantamento do décimo terceiro salário pra ver se calaria a categoria, mas não deu certo, porque o correto seria ela juntar tudo e pagar o mês de julho que ela ainda não pagou”, disse a presidenta do núcleo Sinproesemma no município, Maria Goreth Barros Silva.

Os educadores tentaram o dialogar com a prefeita Vianey Bringel, porém a mesma não apresentou propostas e a categoria decidiu entrar em greve por tempo indeterminado. “Não existiu diálogo por parte da prefeita Vianey Bringel, por isso o sindicato realizou essa assembleia da categoria para a aprovação de uma paralisação por tempo indeterminado”, finalizou.

Em respeito aos alunos e pais, os professores estarão nas escolas na tarde desta quinta-feira (24) e amanhã (25), informando sobre a deflagração da greve, que se intensificará a partir desta segunda-feira (28), quando os educadores estarão acampados em frente à Prefeitura.

Com informações: Sinproessema