Deputada Luana Costa solicita apuração de suposta conversa em aplicativo de celular

Indignada com a circulação de um “print” de aplicativo de celular com suposta montagem envolvendo seu nome e de alguns de seus assessores, a deputada federal Luana Costa protocolou ofício junto à Procuradoria Parlamentar da Câmara dos Deputados, em que solicita do procurador Carlos Marun “atuação em defesa de sua imagem parlamentar”.

O “print” – supostamente apócrifo – consta de montagem com conversas entre de um ‘grupo’ criado no aplicativo WhatsApp, no qual os ‘membros’ expressam palavras de menosprezo e discriminação contra a população do município de Santa Inês. A suposta montagem traz uma ortografia grosseira e algumas características que deixam dúvidas com relação à formatação do aplicativo.

Por meio das redes sociais, a deputada Luana Costa divulgou uma nota, rebatendo a divulgação do material e garantindo que vai tomar providências contra o ou os autores da publicação.

VEJA A NOTA DA DEPUTADA

“Printaram uma conversa de um grupo ligado a nós e falsificaram os textos das conversas. Jamais eu falaria as coisas que colocaram nessa conversa e se observarem o professor Michael escreve tudo errado e o João que é uma pessoa super do bem, fala em estar com nojo de Santa Inês, sendo que o amor da vida dele mora em Santa Inês e as falas são tão mentirosas tanto que Aparecida me chama de Doutora Luana. Estarei diminuindo o número de grupos, colocando as pessoas mais próximas e encaminhando esta falsa postagem para INVESTIGAÇÃO da POLICIA FEDERAL, para que possamos estar tomando medidas mais drásticas com esses adversários que sempre jogam tão baixo”, resume a deputada.

print, supostamente falsificado